Características nutricionais da Maçã de Alcobaça e os seus benefícios

Sabia que consumir mais do que uma maçã por dia reduz em 50% o risco de cancro colo-rectal(1)? O cancro colo-rectal é o segundo cancro de maior incidência e mortalidade em Portugal (2).

A maçã, fruta que de tão conhecida que é que chega a parecer banal, de banalidade nada tem. Ao longo dos tempos tem sido consistentemente apontada como uma fruta com inúmeros benefícios para a saúde. Confirmar-se-á o ditado “an apple a day keeps the doctor away” (uma maçã por dia mantém o médico longe)?

Vejamos então o que a evidência científica nos diz.

Do ponto de vista nutricional, a maçã tem baixo valor calórico (57kcal por 100g), teor moderado de açúcares, é rica em água, em vitaminas, particularmente vitamina C, em sais minerais como o potássio e é rica em fibra. Estas características são comuns à fruta em geral e aos legumes, o 5º grupo de alimentos com uma composição nutricional idêntica entre si e para o qual a Organização Mundial de Saúde recomenda que se consuma no mínimo 400g por dia (fruta e legumes)(3).

O que torna então a maçã numa fruta especial? E o que torna a Maçã de Alcobaça, em particular, ainda mais especial?

A maçã, para além do indiscutível sabor que agrada às papilas gustativas da maior parte dos portugueses, é altamente benéfica para o nosso organismo devido à sua composição nutricional anteriormente referida e ao seu conteúdo em fitoquímicos. Os fitoquímicos, onde se incluem os compostos fenólicos e os flavonoides, são substâncias com elevado poder antioxidante. Para além da capacidade antioxidante, em estudos in vitro e em animais (4-8) verificou-se também o potencial dos fitoquímicos em inibir a proliferação de células cancerígenas, em diminuir a oxidação dos lípidos e em reduzir os níveis de colesterol. Sendo a maçã uma fruta rica em fitoquímicos, eles são os principais responsáveis pelo facto do consumo de maçã reduzir o risco de doenças crónicas como as doenças cardiovasculares, diabetes, asma e cancro, demonstrado em vários estudos (4;8-9).

Vamos agora à maçã de Alcobaça.

A designação “Maçã de Alcobaça” engloba não uma, mas diferentes variedades de maçã que são produzidas nos concelhos do litoral Oeste e não exclusivamente no concelho de Alcobaça. A designação de “Maçã de Alcobaça” refere-se “a denominação da maçã qualificada como IGP - Indicação Geográfica Protegida” o que significa que “foi qualificada pela União Europeia e pelo Ministério da Agricultura em 1994, nos termos do Regulamento CEE nº 2081/92. Estas entidades reconhecem que as maçãs produzidas nesta região possuem características distintas que reúnem condições ímpares para a produção de maçãs de elevada qualidade”. Uma maçã, para poder ser considerada Maçã de Alcobaça tem de cumprir os diferentes requisitos definidos pela Associação dos Produtores da Maçã de Alcobaça (APMA) e que passa pela “área de produção; técnicas de produção respeitadoras do ambiente – produção integrada; cumprimento de normas de segurança alimentar e outros requisitos de boas práticas agrícolas”. (fonte da APMA)

Nutricionalmente, as variedades da “Maçã de Alcobaça” partilham características nutricionais comuns mas cada variedade tem a sua composição nutricional individual. O cumprimento dos requisitos referidos são a garantia que as variedades de Maçã de Alcobaça são particularmente ricas e concentradas em componentes antioxidantes, o que foi também comprovado pelo estudo da Escola Superior de Biotecnologia de Domingos P.F. Almeida (10). Segundo este estudo, as variedades de Maçã de Alcobaça têm um valor médio de fibra, com destaque para as variedades Casa Nova e Reineta com os teores mais elevados (2,7 g/100g e 2,4g/100g respetivamente).

O estudo revelou também a elevada composição em fitoquímicos com poder antioxidante em todas as variedades da Maçã de Alcobaça, com destaque para:

- elevado teor em vitamina C da Reineta;

- a elevada concentração de flavonóides, sobretudo quercitina e rutina nas variedades Fuji, Casa Nova e Galaxy, Starking e Golden Delicious, estas duas últimas ricas particularmente em quercitina e rutina respetivamente;

- elevada concentração de antocianinas, os pigmentos vermelhos (subgrupo de flavonóides) na casca nas variedades Starking e Galaxy;- presença de carotenóides em todas as variedades, em maior concentração na casca das variedades Granny Smith, Reineta e Starking.

Por todas estas razões, nutricionais e não só, a Maçã de Alcobaça é indiscutivelmente uma maçã muito especial.

Em conclusão e como recomendação global:

1. Coma uma maçã por dia, integrada numa alimentação equilibrada; se forem duas melhor. Não se esqueça que uma já diminui o risco de cancro colo-rectal, mas mais do que uma reduz em 50% o risco.
2. Na hora de escolher, para além de ter em conta as suas preferências gustativas, procure aliar o seu gosto à riqueza nutricional comprovada, como é o excelente exemplo da Maçã de Alcobaça (se é que o ser um produto português e as outras garantias de produção não o convenceriam desde logo).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1.Jedrychowski W, Maugeri U et al. Case-control study on beneficial effect of regular consumption of apples on colorectal cancer risk in a population with relatively low intake of fruits and vegetables. Eur J Cancer Prev. 2010 Jan;19(1):42-7
2.Cotter J. Colorectal cancer: Portugal and the world. Acta Med Port. 2013 Sep-Oct;26(5):485-6
3.FAO/WHO. Joint FAO/WHO workshop on fruit and vegetables for health. 2004
4.Liu RH, Liu J, Chen B. Apples prevent mammary tumors in rats. J Agric Food Chem. 2005 Mar 23;53(6):2341-3
5. Knekt P, Isotupa S et al. Quercetin intake and the incidence of cerebrovascular disease. Eur J Clin Nutr. 2000;54:415–417
6. Hubbard GP, Wolffram S. et al. The role of polyphenolic compounds in the diet as inhibitors of platelet function. Proc Nutr Soc. 2003 May;62(2):469-78
7. Peng IW, Kuo SM. Flavonoid structure affects the inhibition of lipid peroxidation in Caco-2 intestinal cells at physiological concentrations. J Nutr. 2003 Jul;133(7):2184-7
8.Boyer J, Liu RH. Apple phytochemicals and their health benefits. Nutr J. 2004 May 12;3:5
9. Feskanich D, Ziegler R et al. Prospective study of fruit and vegetable consumption and risk of lung cancer among men and women. J Natl Cancer Inst. 2000;92:1812–1823
10. Almeida DPF, Pintado M. Caracterização nutritiva e funcional de variedades de maçã de Alcobaça. Centro de Biotecnologia e Química Fina, Escola Superior de Biotecnologia, Universidade Católica Portuguesa, Porto. 2008

 

Tânia Jorge
Nutricionista e Nutri Coach


Licenciatura em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto.
Pós-graduada em Gestão e Direção de Serviços de Saúde pela Porto Business School.
Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas, cédula nº 1395N.
Especialidade em Coaching Nutricional.
Participação em projectos da OMS e Comissão Europeia na Suécia.
Fundadora da Nutriente - Nutrição e Bem-estar.
Experiência profissional em Nutrição Clínica
.

FACEBOOK: Tânia Jorge – Nutricionista/Nutricoach

FACEBOOK: Nutriente, Nutrição e Bem-Estar
SITE: www.nutriente.pt


ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE MAÇÃ DE ALCOBAÇA - Entidade Gestora da Indicação Geográfica Protegida "Maçã de Alcobaça"
Apartado 23 EC Bairro dos Arcos 2510-081 Óbidos | Para assuntos da APMA: maca.alcobaca@gmail.com | Para assuntos do Clube: geral@clubedamaca.pt




Plataforma sharpNet © CONPLAN

Para uma correta visualização deste Portal e de todas as suas funcionalidades recomenda-se a utilização da ultima versão do browser (Internet Explorer, Google Chrome, etc)